Postagem em destaque

Biometria: TRE-BA convoca quase 3 milhões de eleitores a partir desta segunda (13/5)

Por  Tainara Figueiredo De ASCOM TRE-BA Revisão extraordinária deve ser concluída em todos os municípios participantes antes das Ele...


Clique para se inscrever em nossa Comunidade no YOUTUBE. Assim você fica sabendo de todas notícias - publicadas pelo DIÁRIO DO RIO PRETO DRP e por outros veículos de imprensa na internet - sobre os municípios baianos de Santa Rita de Cássia, Mansidão e Formosa do Rio Preto.

quinta-feira, 24 de março de 2016

PRODUTORES DE NOVE MUNICÍPIOS DA REGIÃO OESTE DA BAHIA, REPRESENTADOS POR ENTIDADES, SOLICITAM DO GOVERNO DESSE ESTADO, APOIO JUNTO AO MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL PARA QUE ESTE DECRETE ESTADO DE EMERGÊNCIA POR CAUSA DA PERDA DE MAIS 30% DA SAFRA AGRÍCOLA 2015/2016 DEVIDO AOS INTEMPÉRIES CLIMÁTICOS.

O que pouco se tem noticiado nos blogs e jornais da internet é a grande perda da safra agrícola de grãos 2015/2016 na região Oeste da Bahia. Estimam que a perda em números percentuais passe dos 30% e em valores reais pode chegar a mais de R$ 2 bilhões.

Essa estimativa foi apresentada pelas entidades: Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba); Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa); Sindicato dos Produtores Rurais de Luís Eduardo Magalhães; e Sindicato dos Produtores Rurais de Barreiras.

Essas entidades representam os produtores agrícolas dos seguintes municípios baianos: Barreiras, São Desidério, Riachão das Neves, Formosa do Rio Preto, Baianópolis, Cocos, Correntina, Jaborandi, e Luis Eduardo Magalhães.

Essas entidades apontaram que a perda se deve às poucas chuvas nos últimos três meses do ano 2015; às fortes chuvas do mês de janeiro deste ano 2016, essas chuvas provocaram uma das maiores cheias do Rio Preto de Formosa, essa cheia foi comparada a que ocorrera no ano de 1980, tanto volume de água de uma só vez ocasionou muita umidade, chegando a uma precipitação 700 mm; após esse período de chuva houve 38 dias de estiagem, essa estiagem foi comparada com a estiagem que ocorrera no ano de 1989. Essas intempéries climáticas não fizeram bem às lavouras da região Oeste da Bahia.

Por isso, essas entidades representativas desses produtores agrícolas buscam apoio junto ao Governo do Estado da Bahia para que o MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL DECRETE ESTADO DE EMERGÊNCIA. Isso possibilitaria aos agricultores desses 9 (nove) municípios baianos prorrogarem o custeio de suas lavouras junto aos Bancos financiadores.

Os prefeitos desses 9 (nove) municípios baianos da região Oeste deveriam se preocuparem com a enorme queda na arrecadação dos impostos gerarão este infortúnio dos Agricultores. Principalmente o prefeito JABES LUSTOSA NOGUEIRA JÚNIOR, de Formosa do Rio Preto / BA.

Esse prefeito formosense deveria se empenhar para conseguir esse DECRETO. Caso contrário, o único município produtor agrícola de grãos do Vale do Rio Preto poderá ver sua arrecadação de impostos cair drasticamente.

Isso porque a maioria dos produtores agrícolas não fazem seguro da lavoura por causa do alto custo. Preferem dar como garantia as suas terras. Caso esses Agricultores não consigam mais tempo para tentarem produzir para pagarem os seus financiamentos bancários que começarão a vencer em 30/04/2016. Poderão acabar entregando essas terras em Formosa do Rio Preto, que digasse de passagem, encontram-se em litígio na JUSTIÇA BAIANA.

O resultado será essas terras ficarem improdutivas até que o BANCO ou a JUSTIÇA decidam o que fazer ou os beneficiários do inventário tomarem posse. Até que isso tudo transcorra, Formosa do Rio Preto perderá muito porque o prefeito não se empenha nem mesmo em conseguir o asfalto dos 78 KM da estrada BA 225 do Anel da Soja no trecho por onde escoa a produção que gera a maioria da arrecadação dos impostos desse município baiano do Vale do Rio Preto. 

A FOTO E AS INFORMAÇÕES CONSTANTES NESTA POSTAGEM FORAM COLETADAS DO CANAL RURAL E DO SITE VALOR ECONÔMICO.


Arquivo do DRP